sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Tipos de destilação para obtenção de óleos essenciais!


A destilação é uma técnica muito antiga. Por ser artesanal, é utilizada para produção em pequena escala. Veja nesta postagem um pouco mais sobre a destilação, que é uma entre várias técnicas usadas na obtenção de óleos essenciais.
Preparação
As flores e folhas, embora às vezes necessitem ser cortadas ou raspadas para fragmentar as paredes da célula e permitir que o óleo "escape" por elas, de modo geral, exigem pouca preparação antes da destilação. As frutas mais duras, as sementes e as cascas, em um processo chamado de cominuição são reduzidas a pequenos pedaços ou pó, a fim de expor as células de óleo à água fervente.
O processo de destilação consiste em aquecer um líquido ou um sólido a uma temperatura na qual ele evapore, passando-o através do material da planta e, posteriormente, esfriando o vapor, que a essa altura já contém as essências a serem extraídas, até que se condense novamente num líquido ou sólido. Para a produção de óleos essenciais, há dois tipos principais de destilação: pela água e á vapor.
Destilação pela água
Neste processo, a matéria-prima é colocada no recipiente da destilação com quantidade suficiente de água e a parte superior do destilador é firmada na posição adequada. Conforme o recipiente aquece, a água ferve, amolecendo a planta e liberando o óleo essencial das glândulas de óleo. O óleo se vaporiza e o vapor (com as moléculas odoríferas) é carregado para cima e para dentro do condensador na corrente de vapor produzida pela água fervente. No condensador, o vapor de água e o vapor do óleo essencial se condensam nos seus respectivos líquidos, que são coletados no receptáculo. Por possuir densidades diferentes, o óleo essencial e a água se mantém separados no receptáculo. O óleo é removido e, se necessário, tratado com sulfato de sódio anidro, para eliminar qualquer resíduo de água. Em seguida é filtrado e envasado.

Esquema de destilação pela água em pequena escala:
o material da planta é colocado junto com a água.

Destilação a vapor
Trata-se de um processo semelhante que emprega os mesmos princípios, com a diferença que o vapor de um boiler separado é injetado no recipiente de destilação e passado através do material da planta. Nele, a pressão é maior que a da atmosfera, o que torna seu ponto de ebulição mais alto (acima de 100ºC).
Os componentes voláteis que são insolúveis na água são arrastados pelo vapor, resfriado pelo condensador e recolhido no receptáculo.
Este tipo de destilação extrai os óleos essenciais com mais rapidez que a destilação pela água e minimiza os danos aos compostos dos óleos.

Esquema de destilação a vapor: água e material são colocados em recipientes separados.
Componentes voláteis e insolúveis em água são arrastados pelo vapor.

Hidrolato
O hidrolato ou água floral é a água que resta depois que o óleo essencial foi removido de um destilado.Ele somente pode ser produzido durante o processo de destilação  e é um destilado completamente não alcoólico. Importante ressaltar que, ao contrário do que muitos pensam, o hidrolato não é uma água à qual foram adicionadas algumas gotas de óleo essencial e também não podem ser fabricados sinteticamente em laboratório.
Sua composição também é diferente dos óleos essenciais, sendo mais rica em componentes compatíveis com a água e desprovida de substâncias como os terpenos. Isso os torna aromáticos altamente toleráveis, antinflamatórios e antissépticos. Alguns são usados como tonificantes e adstringentes, nos últimos tempos seu uso se tornou muito popular na aromaterapia estética.

Referências
Livro:
HOARE, Joana. Guia completo de aromaterapia. São Paulo: Pensamento, 2010.
Site:
Divine Essences  (acesso em 08 de maio de 2013)
 
Fonte: http://aromasvitais.blogspot.com.br/2013/05/tipos-de-destilacao-para-obtencao-de.html?view=flipcard