terça-feira, 9 de maio de 2017

Estas velas de cristal são magicamente fáceis de fazer!





Você vai precisar de:


Tampa de metal para garrafa de vidro com borracha de vedação

Pistola de cola quente

Prego pequeno

Martelo

Fio

Super cola

Alúmen de potássio

Água

Corante Alimentício

Recipiente que suporta calor

Spray de revestimento transparente

Vela com suporte metálico

Olho de salamandra e dedo de sapo (brincadeira)






Fonte: https://www.buzzfeed.com/raypajar1/velas-de-cristal?utm_term=.blz736y6q2#.ggX1eB7B9q

https://www.facebook.com/buzzfeedniftybrasil/videos/421158614942457/


segunda-feira, 8 de maio de 2017

DIA DAS MÃES - Pintura em Pano de Prato Passo a Passo

pintura em pano de prato capa

A pintura em tecido é uma arte antiga, mas que encanta as pessoas ainda hoje. Pela beleza e riqueza de detalhes, ela é usada para dar vida a várias peças, entre camisetas, forros de mesa. Com isso, queremos dizer que a pintura em pano de prato é uma das mais comuns, e os artesãos garantem que esse é o item de maior saída.

A tradição de usar panos de prato decorados vem do hábito de querer deixar a cozinha charmosa e da vontade de receber bem a todos que são convidadas para as refeições. Não há nada que demonstre tanto cuidado quanto receber suas visitas para as refeições e usar panos de prato impecáveis e com pinturas belíssimas.

Na cozinha, eles têm múltiplas funções, servem para enxugar as vasilhas, secar as mãos e tampar a comida após as refeições. O pano de prato pintado é tão valorizado que costuma ter seu uso reservado para ocasiões especiais, como para ceias e eventos de família. Por isso, além de úteis, os panos pintados à mão são ótimas opções de presente.

Já que esse produto artesanal possui ótima aceitação e excelente procura, com certeza é uma ótima opção de fonte de renda para todos que buscam uma atividade que pode ser feita em casa, gastando o mínimo possível com ferramentas e materiais.

Como Aprender a Pintar em Pano de Prato

materiais para pintura em tecido
bachelor.jessicarabbit.cf
Para aprender a fazer lindas pinturas em pano de prato vale de tudo um pouco: ler revistas específicas, assistir vídeos que ensinem a pintar e assim por diante. Mas, a melhor coisa a se fazer é contar com a ajuda de um profissional que entenda do assunto, assim, as chances de você aprender as técnicas com mais facilidade aumentam muito. Além disso, você vai aprender, desde o início, a trabalhar de forma profissional, isso com certeza refletirá no resultado final do seu trabalho.

Veja também: Pintura em Tecido Para Iniciantes

Indicamos que você conheça e se matricule hoje mesmo no Curso de Pintura em Tecido. Esse curso contém um material riquíssimo, elaborado pela Revista Artesanato em parceria com a artesã Andrea Mendes. As aulas são excelentes e proporcionam um ótimo aprendizado. Venha fazer parte dessa turma de sucesso! Não perca a oportunidade de transformar a sua vida para melhor.

Pintura em Pano de Prato Passo a Passo

Abaixo, colocamos o link de duas pinturas lindíssimas que você pode aprender a fazer passo a passo. Confira!

1) Pintura de um Lírio

pintura em pano de prato lírio
Veja o tutorial: Pintura em Tecido Passo a Passo – Lírio

2) Pintura de Rosas

rosas-pintura-em-tecido-31
Crédito da foto: http://arteempinturaemtecido.blogspot.com.br
Veja o tutorial: Pintura em Tecido – Rosas

Quer aprender mais?

thumb-pintura
Para aprender a pintar outros riscos, inscreva-se agora mesmo no Curso de Pintura em Tecido flores e frutas da Revista Artesanato, com a renomada artesã Andrea Mendes. Com esse material você terá acesso a técnicas de pintura e riscos incríveis, tudo facilitado para você aprender ainda mais rápido. Se você anda sem tempo, não tem problema, o curso fica disponível para ser acessado quando você quiser. Clique aqui e saiba mais.

7 Trabalhos para Você se Inspirar

1) Chaleira com flores

pano de prato pintado
nossalojinha.loja2.com.br

2) Pano de prato com tema natalino

pintura em pano de prato minnie natal
karinartesanato.divitae.com.br

3) Pintura cupcakes

pano de prato pintado à mão
negociol.com

4) Pano de prato joaninha

pano-de-prato-pintado-a-mao
http://www.elo7.com.br/pano-de-prato-pintado-a-mao/dp/24D11E

5) Pano de prato com pintura de vaquinha

PANO-DE-PRATO-PINTADO-COM-BICO-DE-CROCHE
gisaartes.arteblog.com.br

6) Pintura de galinha

Crédito da imagem: Pintura em pano de prato galinha
www.elo7.com.br

7) Pintura de chaleira e rosas

pinturas-em-tecido1
http://www.pinturasemtecido.com/
Fonte: http://www.revistaartesanato.com.br/pintura-em-pano-de-prato

DIA DAS MÃES - Colar Love feito com arame – passo a passo

Colar de arame Love

Já pensou em dar um presente personalizado para alguém especial? Que tal um colar lindo feito apenas com arame e com alguma mensagem legal? Seria uma surpresa fantástica para quem recebe se lembrar e guardar por muito tempo. Essa é justamente a ideia de hoje, um colar lindo feito apenas com arame dobrado, super criativo. Dê agora mesmo esse presente para quem você ama, prepare o material:

Material Necessário

Materiais
  • Arame
  • Tesoura
  • Alicate de bico fino
  • Argolas para bijuteria
  • Corrente para bijuteria
  • Linha de bordar colorida
  • Cola quente ou base de unha

Como fazer o colar de arame com mensagem

Dobre o arame

1) Corte um pedaço do arame do tamanho necessário para escrever a sua mensagem. Antes de cortar o arame que será realmente utilizado, faça testes. Tente escrever a sua mensagem com o arame e veja o tamanho necessário.

2) Pegue o arame cortado e utilizando o alicate de bico fino faça uma voltinha na ponta, como mostrado na foto acima. Essa voltinha será utilizada para prender a correntinha do colar.
Enrole a linha

3) Amarre a linha de bordado ao lado da voltinha feita no passo anterior.

Enrole no arame

4) Enrole a linha de bordado no arame.

Finalize a ponta

5) Enrole a linha para bordado no arame até a outra ponta. Quando terminar de enrolar, passe um pouco de base para unha ou cola quente para fixar a linha.

6) faça outra voltinha no arame, no outro lado.

Comece a dobrar o arame

7) Comece a escrever a sua mensagem. No exemplo mostrado a mensagem é “love”, assim a primeira letra a ser escrita é o “L”.

Faça o texto

8) Faça a voltinha da letra “O” utilizando algo redondo como guia.

Veja como fica

9) Escreva o restante da sua mensagem. Esse é só um exercício de dobrar o arame, tentando e acertando.

Finalize o colar

10) Por fim, fixe a correntinha do colar para finalizá-lo.

Exemplos de outros colares que podem ser feitos

Exemplos do que pode ser feito 

Usando a criatividade você pode escrever várias mensagens e fazer colares lindos.

Fonte: http://www.revistaartesanato.com.br/colar-love-feito-com-arame-passo-a-passo/

Crédito das fotos: http://www.studs-and-pearls.com/2012/03/thread-wrapped-love-necklace.html#more

quinta-feira, 13 de abril de 2017

11 Idéias incríveis de brincadeiras para a Páscoa no Jardim + Download Grátis



Se tem uma dessas manifestações culturais, que vem crescendo no Brasil, e que é ao meu ver fantástica para as crianças, é a famosa “Caça aos ovos de Páscoa“, principalmente quando essa estimulante atividade pode ser realizada ao ar livre, aproveitando o espaço do jardim. Assim, encontramos mais uma oportunidade de estreitar o contato das crianças com a natureza de uma forma lúdica, estimulando sua curiosidade, e aproveitando para falar sobre o meio ambiente, os animais, as flores e até mesmo os vegetais se você tiver uma hortinha. Afinal, um jardim não precisa servir apenas para contemplação! Ele pode e é um excelente espaço para educação ambiental e para a prática de brincadeiras e exercícios. As crianças terão lindas memórias da para recordar.


 

1. Tente engajar a sua comunidade na caça aos ovos. Seja a escola das crianças, o pessoal do condomínio, a vizinhança, a igreja, o grupo escoteiro, etc. Muitas crianças brincando e caçando ovos juntos tornará a brincadeira ainda mais divertida! Eles também podem ter a oportunidade de aprender a dividir os frutos da caçada.
 
2. Para tornar a caçada mais interessante para crianças maiores, você pode fazer uma espécie de caçada com pistas, de forma que elas vão encontrando os ovos um a um. E a cada ovo encontrado, uma nova pista se apresenta. A primeira pista pode ficar na cesta de páscoa.
 
 

3. Envolva os adolescentes, adultos e os idosos nos jogos e brincadeiras. Aproveite para aproximar a família e não deixe ninguém de fora. A caçada com pistas, pode ser mais difícil, com charadas e outras surpresas além de ovos de chocolate. Experimente fazer uma gincana com desafios de matemática que levam a cada pista.
 
4. Estimule a interação com o jardim. Crie uma lista de coisas a fazer na caçada, como cheirar três flores, encontrar cinco insetos, etc. Veja abaixo um exemplo em pdf para você imprimir gratuitamente. 
 
5. Esconda uma peça de quebra cabeça com cada um dos ovinhos. Assim, ao final, as crianças vão saber se já encontraram todos ou se ainda há algum perdido para procurar. O mesmo pode ser feito com pecinhas de lego ou blocos de montar.
 
 
 
6. Da mesma forma que na dica anterior, você pode esconder uma letrinha com cada ovo, para que ao encontrar eles possam formar uma palavra e ver se algo está faltando.Aproveite para ensinar sobre a hortinha e os vegetais.
 
7. Experimente rechear cascas de ovos de verdade, ou mesmo as de plástico, com pequenos objetos que não sejam doces ou chocolates. As crianças vão amar pequenos brinquedos, moedinhas, borrachinhas, carimbos, adesivos, etc.
 
8. Para as crianças bem pequenas, que podem ter dificuldades em encontrar os ovinhos escondidos, você pode amarrar um balãozinho com hélio ou mesmo uma bandeirinha em cada local. É diversão garantida!
 
9. Se tiver muitas crianças, você pode esconder um ovo dourado, com um grande prêmio para estimulá-los.
 
10. Transforme sua caçada em uma jornada épica, atrás de ovos de dinossauro. As pistas podem ser fósseis e pegadas de mentira. Os pequenos vão se sentir verdadeiros paleontólogos exploradores.
 
11. Tenha ovos o suficiente. É muito frustrante uma caçada que começa e logo termina. Calcule pelo menos 20 ovos por participante.
 
 
 
Promova um almoço especial para todos os envolvidos ao final da caçada. Tenha a certeza de que você trabalhou um pouquinho para tornar seus pequenos caçadores amantes e protetores da natureza, com essa brincadeira deliciosa. É incrível como o foco sai do chocolate e eles aprendem que a diversão está na caçada e em apreciar cada descoberta. Após toda essa agitação, eles podem apreciar os doces. Aproveite para ensiná-los que é muito mais saudável e gostoso comer um pouquinho por vez, do que exterminar rapidamente com a cesta de páscoa.
 
Fonte: http://www.jardineiro.net/12-ideias-incriveis-de-brincadeiras-para-pascoa-no-jardim-download-gratis.html

segunda-feira, 3 de abril de 2017

COMO PLANTAR VIOLETA AFRICANA "Saintpaulia Ionantha"

 

As violetas-africanas são pequenas plantas das florestas tropicais da Tanzânia, e que também podem ser encontradas no Quênia. Sua origem africana e a aparência de suas flores levou estas plantas a serem conhecidas popularmente como violetas-africanas, embora não pertençam ao gênero Viola das verdadeiras violetas.

Plantas de porte pequeno, crescem até cerca de 15 cm de altura, podendo ocupar um diâmetro horizontal que varia de alguns centímetros a mais de 40 cm. As folhas podem variar ligeiramente de formato, mas sempre têm um longo pecíolo, são grossas, suculentas e são cobertas de uma fina penugem (tricomas) que lhe conferem uma aparência aveludada. As flores podem ser simples ou dobradas, com bordas lisas ou crespas, em tons de azul, rosa, violeta, roxo, vermelho e branco.

Muito cultivadas em vasos e jardineiras no peitoril de janelas e em ambientes bem iluminados do interior de residências, as violetas-africanas também podem ser cultivadas em locais sombreados de jardins.
 
Nome científico:Violetas-africanas são plantas do gênero Saintpaulia. A mais cultivada é a espécie Saintpaulia ionantha e híbridos.
 
Origem:

África (Tanzânia e Quênia).
 
 
Clima

Crescem bem em temperatura acima de 18°C. O ideal são dias quentes (temperatura acima de 21°C e abaixo de 32°C) e noites mais amenas, mas com temperatura acima de 18°C.
 
Iluminação:

Luz indireta. Luz solar direta pode amarelar e queimar as folhas, podendo chegar a matar a planta. Por outro lado, folhas muito escuras, muito finas e com pecíolos muito longos, são sinais de iluminação fraca e inadequada. As plantas geralmente não florescem se não houver luz suficiente.
 
 
 
Irrigação:

As violetas-africanas são sensíveis tanto ao excesso quanto a falta de água. Irrigue de forma a manter o solo úmido, mas sem que permaneça encharcado. Algumas pessoas recomendam irrigar os vasos apenas por baixo, colocando-os em um recipiente baixo contendo água, por alguns minutos, até que a superfície do solo fique úmida. Contudo, não há problemas em irrigar normalmente, desde que não se molhe as folhas com água fria. Normalmente não há problema em molhar as folhas com água a temperatura ambiente, desde que a água esteja com uma temperatura acima de 20°C.

Embora estas plantas tolerem um ar mais seco, elas crescem melhor em ambientes com alta umidade relativa do ar.
 
 
 
Solo:

O solo deve ser bem drenado, leve, fértil e muito rico em matéria orgânica. O pH ideal do solo varia de 6 a 6.5.
Época de floração:

Em condições adequadas, pode florir durante qualquer época do ano. Plantas propagadas a partir de folhas começam a florescer em 6 a 9 meses após o plantio.
Ciclo de cultivo

Violetas-africanas são plantas perenes.
 
 
 
Propagação:

A propagação pode ser feita através de sementes ou da divisão de plantas velhas, mas o método mais simples é usar as folhas bem desenvolvidas. Destaque ou corte as folhas mantendo o pecíolo (os talos das folhas). Este deve então ser enterrado em areia, vermiculita ou outro substrato, mas deixando o limbo da folha para fora. Mantenha o substrato sempre úmido. As raízes se formam em cerca de 2 a 4 semanas e folhas começam a surgir em 4 a 8 semanas. O transplante pode ser feito quando as mudas tiverem de 4 a 6 folhas.
 
 


Espaçamento recomendado entre plantas, tamanho de vasos e outros cuidados

O espaçamento entre plantas ou o tamanho do vaso depende do tamanho da cultivar. O espaçamento entre plantas deve levar em conta o tamanho horizontal da planta, de forma que as folhas de duas plantas não se sobreponham. Da mesma forma, o diâmetro dos vasos para plantas individuais deve igualar o diâmetro da planta. Também é possível ir trocando os vasos a medida que a planta vai crescendo, sempre utilizando um vaso com diâmetro igual ou superior ao diâmetro da planta que está sendo transplantada. Variedades cultivadas micro atingem até 8 cm de diâmetro. Variedades miniatura atingem de 8 a 15 cm de diâmetro. Uma variedade comum ou padrão pode atingir de 20 a 40 cm de diâmetro. Já as variedades grandes crescem acima de 40 cm de diâmetro.

Quando uma planta fica alta, apresentando um pedaço de caule sem folhas, pode ser replantada de maneira que a parte sem folhas fique enterrada no solo.
 
 
 
Fonte: https://jardim.info/violeta-africana

COMO PLANTAR COUVE- DE-BRUXELAS "Brassica Oleracea"


Brassica oleracea Grupo Gemmifera ou Brassica oleracea variedade gemmifera

As couves-de-bruxelas são um grupo de cultivares de couve em que ocorre o desenvolvimento das gemas axilares das folhas, de forma que o caule fica coberto com muitos brotos semelhantes a pequenos repolhos, que são colhidos e consumidos principalmente cozidos.
 
Clima

A couve-de-bruxelas é uma hortaliça de clima frio ou ameno, que dificilmente cresce bem em locais onde a temperatura média ultrapassa os 24°C, sendo que a faixa de temperatura considerada ideal para o cultivo é de 15°C a 18°C. A planta suporta bem geadas e algumas cultivares podem sobreviver durante curtos períodos a temperaturas de até -10°C.
Luminosidade

A couve-de-bruxelas necessita de alta luminosidade, com luz solar direta pelo menos algumas horas por dia.


 
Solo

Plante em solo bem drenado, fértil, rico em matéria orgânica e rico em nitrogênio. O pH ideal do solo está entre 6,0 e 6,8.

A couve-de-bruxelas é bastante sensível à falta de boro no solo. Se as plantas estão apresentando caules ocos e não estão se desenvolvendo bem, estes podem ser sintomas de carência de boro, problema que pode ser corrigido através da adubação com adubo que contém boro.
Irrigação

A horta deve ser irrigada de forma a manter o solo sempre úmido, sem que fique encharcado.



Plantio

As sementes podem ser plantadas em sementeiras, vasos pequenos ou copinhos de plástico ou de jornal, e transplantadas quando as mudas têm de 4 a 6 folhas. Transplante de preferência no fim da tarde, com o solo bem úmido, ou em dias nublados e chuvosos. As sementes também podem ser plantadas diretamente no local definitivo, embora esta prática seja menos comum.
Tratos culturais

Retire plantas invasoras que estejam concorrendo por nutrientes e recursos.






Colheita


A colheita da couve-de-bruxelas ocorre de 90 a 140 dias após a semeadura, variando conforme a cultivar plantada e as condições de cultivo, e prolongando-se por alguns meses se a planta não for cortada inteira na colheita, isto é, se os brotos forem colhidos um a um. Neste último caso os brotos vão sendo colhidos da base da planta para cima, conforme vão atingindo 2,5 a 5 cm de diâmetro, sem que estejam abertos ou amarelados. Corte os brotos com uma faca rente ao caule ou torça cada broto até que este se desprenda da planta.

Muitos afirmam que as couves-de-bruxelas são mais saborosas se forem colhidas após a ocorrência de uma leve geada.





Fonte: https://hortas.info/como-plantar-couve-de-bruxelas

COMO PLANTAR ERVA-DO-ORVALHO "Mesembryanthemum Crystallinum"




Mesembryanthemum crystallinum

A erva-do-orvalho, também conhecida como barrilha, erva-gelada e planta-de-gelo, é uma pequena erva rasteira que normalmente não ultrapassa os 10 cm de altura. Suas folhas suculentas e seus talos podem ser consumidos crus ou cozidos, e suas sementes também são comestíveis. Contudo, seu aspecto singular faz com que seja mais cultivada como planta ornamental do que como hortaliça, pois esta planta fica coberta com brilhantes células hipertrofiadas que armazenam água, dando a aparência de estarem cobertas de cristais de gelo ou de gotas de orvalho, fato que também explica vários dos nomes atribuídos a esta erva.

Clima

Esta planta não suporta geadas e baixas temperaturas, podendo ser cultivada em regiões de clima quente o ano todo, e nos meses de primavera e verão em regiões onde o inverno apresenta baixas temperaturas.
Luminosidade

Exige luz solar direta pelo menos por algumas horas diariamente.

 
 
Solo

Melhor cultivar em solo bem drenado, fértil e rico em matéria orgânica, embora esta planta suporte solos pouco férteis, solos arenosos e até mesmo solos salinos.
Irrigação

Irrigue de forma a manter o solo levemente úmido, sem permitir que fique encharcado. Esta erva é resistente a seca, mas cresce melhor e tem melhor aspecto se não faltar água.

Plantio

O plantio pode ser feito com sementes ou com ramos de plantas saudáveis. As sementes podem ser semeadas no local definitivo em regiões quentes ou em sementeiras, pequenos vasos e outros recipientes, sendo depois transplantadas. Em regiões sujeitas a baixas temperaturas, semeie na primavera em local protegido e transplante no fim da primavera ou começo do verão, quando não houver mais perigo de ocorrer geadas. As sementes podem ficar na superfície do solo, que deve ser mantido úmido.

Ramos de plantas saudáveis e que não estejam florescendo também podem ser utilizados para propagar as plantas. Os ramos podem ser enterrados parcialmente em vasos com solo mantido bem úmido até o enraizamento, quando as mudas são então transplantadas para o local definitivo.

O espaçamento para o cultivo pode ser de 30 entre as linhas de plantio e de 15 a 30 cm entre as plantas. A erva-do-orvalho pode ser cultivada facilmente em vasos e jardineiras.
Tratos culturais

Retire as plantas invasoras que estejam concorrendo por nutrientes e recursos.



Colheita

A colheita das folhas e talos jovens da erva-do-orvalho ou barrilha pode começar cerca de 30 dias após o plantio, mas isso pode variar com as condições de cultivo. Colha apenas as folhas e talos necessários ou colha todas as folhas e talos jovens. A planta normalmente rebrota rapidamente, de forma que podem ocorrer várias colheitas em intervalos de algumas semanas. Em regiões quentes, esta planta é perene.
 
 

COMO PLANTAR CEBOLA




A cebola é uma planta bienal, mas que é normalmente cultivada como uma anual. Seus bulbos são consumidos crus ou são preparados em uma grande variedade de maneiras, e suas folhas ocas, quando jovens, podem ser usadas como um substituto para as folhas das cebolinhas.

Existe atualmente um grande número de cultivares de cebola, com plantas que geralmente atingem de 15 a 50 cm de altura durante o cultivo (mas podem chegar a 1,2 m de altura quando estão florescendo, o que ocorre normalmente apenas no segundo ano de vida destas plantas). Seus bulbos, que podem variar de 2 a 15 cm de diâmetro, podem ter a película externa ou casca (os catáfilos externos) branca, amarela, vermelha ou roxa.

As cebolas contêm substâncias que podem ter um potencial benéfico para a saúde humana e são assim também usadas para fins medicinais. Mas enquanto seres humanos podem consumir cebolas sem problemas, estas são tóxicas para vários outros mamíferos, como por exemplo cães e gatos.
Clima

Embora a temperatura ideal para o cultivo de cebola esteja no intervalo de 13°C a 28°C, esta é uma planta bastante tolerante. Há muitas cultivares disponíveis para o plantio, e a cebola pode ser cultivada em uma ampla gama de regiões e climas.
Luminosidade

Esta planta necessita pelo menos de algumas horas de sol direto por dia.

Um fator fundamental no cultivo de cebola é escolher cultivares adaptadas ao fotoperíodo de sua região, ou seja, ao comprimento do dia ou o tempo de horas de luz por dia. As cultivares de cebola de dias curtos são plantas que só formam um bulbo quando o dia de luz dura de 10 a 12 horas. Estas variedades cultivadas ou cultivares são apropriadas para locais de baixa latitude, ou seja, locais mais próximos ao equador terrestre, onde a variação do comprimento do dia e da noite não é muito acentuada durante o ano. Já as cultivares de dias longos são plantas que formam o bulbo quando a duração do dia de luz atinge de 13 a 16 horas, sendo apropriadas para o cultivo em locais de alta latitude, de clima temperado.

É possível crescer uma cultivar de dias longos em uma região e estação onde os dias são curtos, mas provavelmente a planta não formará bulbo. O mesmo ocorre se for plantada uma cultivar de dias curtos em locais onde a estação de crescimento apresenta dias longos.
 
 


Solo

O solo deve ser bem drenado, fértil e rico em matéria orgânica, mas esta planta não é exigente quanto à disponibilidade de nitrogênio. O pH do solo deve ser corrigido, se necessário, para algo entre 5,5 e 6,8.
Irrigação

Irrigue com frequência para que o solo seja mantido úmido durante a fase de crescimento da planta. Diminua a frequência das irrigações quando os bulbos estiverem crescendo. Perto da época da colheita pare completamente a irrigação.

 
 
Plantio

O plantio pode ser feito com sementes ou com pequenos bulbos produzidos especialmente para o plantio. A semeadura geralmente é feita em sementeiras e o transplante das mudas para o local definitivo ocorre entre 40 e 60 dias após a semeadura. A germinação das sementes normalmente ocorre entre uma e duas semanas.

Os pequenos bulbos são plantados diretamente no local definitivo, a uma profundidade de 2 ou 3 cm.

O espaçamento recomendado varia com a cultivar e as condições de cultivo, indo geralmente de 25 a 45 cm entre as linhas de plantio e de 10 a 15 cm entre plantas.
Tratos culturais

A presença de plantas invasoras prejudica muito as mudas de cebola, assim estas devem ser eliminadas regularmente até o completo crescimento da planta, tomando o cuidado de não causar danos para as mudas.
 
 

Colheita

O tempo necessário para fazer a colheita da cebola varia muito, podendo ocorrer de 85 dias a quase 300 dias após a semeadura, e depende da cultivar utilizada, da região onde o plantio é realizado e da estação do ano em que cebola é cultivada.

Para consumo imediato, arranque os bulbos quando necessário em qualquer estágio de desenvolvimento. Para armazenar os bulbos por até alguns meses (geralmente de 3 a 6 meses, dependendo da cultivar e das condições de cura e armazenagem), espere até que as folhas mais velhas fiquem secas e os bulbos adquiram a cor externa característica da cultivar utilizada. Arranque a planta inteira, sem que as folhas se soltem do bulbo. A cura é o processo em que a cebola perde o excesso de água. Consiste em deixar as cebolas secando ao sol por 3 a 10 dias, sendo menos dias em regiões quentes e de alta insolação e 10 dias em regiões de alta latitude e menor insolação. Após este período, quando as folhas e a camada externa dos bulbos estiverem completamente secas, as cebolas podem ser armazenadas em locais frescos e secos, em tranças feitas com as próprias folhas, amarradas em varais de madeira ou bambu, ou em caixotes, cortando as folhas e deixando apenas os bulbos. É importante para a conservação das cebolas manter os bulbos secos e com boa ventilação.
 
 
 
Fonte: https://hortas.info/como-plantar-cebola