segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

A cozinha aromacológica.




Nos últimos anos, termos como alimentos funcionais ou nutracêuticos começaram a aparecer nas descrições de revistas e jornais, representando uma maior preocupação com a qualidade dos alimentos que consumimos e suas propriedades.
Os alimentos funcionais se encaixam em uma categoria situada entre os alimentos padrão e os produtos farmacêuticos. Além dos nutrientes conhecidos, os alimentos funcionais possuem componentes que conseguem equilibrar ou modular o organismo, auxiliando a reduzir o risco de doenças futuras, principalmente aquelas associadas à alimentação. Vale ressaltar que o alimento funcional não tem a função de curar, mas de ajudar na prevenção de certas doenças.
Já os nutracêuticos são o alimento ou parte de um alimento que proporciona benefícios médicos e de saúde, incluindo a prevenção e∕ou tratamento da doença. Tais produtos podem abranger desde nutrientes isolados suplementos dietéticos na forma de cápsulas e dietas até os produtos beneficamente projetados, produtos herbais e alimentos processados tais como cereais, sopas e bebidas.
No Brasil, a portaria nº 398 de 30∕04∕1999 da Secretaria de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde define que “é alimento funcional todo aquele alimento ou ingrediente que, além das funções nutricionais básicas, quando consumidos na dieta usual, produz efeitos metabólicos e∕ou fisiológicos e∕ou efeitos benéficos à saúde, devendo ser seguro para consumo sem supervisão médica”. Estão incluídos nessa categoria de alimentos: soja, alho, brócolis, tomate, couve, couve-flor, couve-de-bruxelas, repolho, frutas cítricas, sementes de linhaça, chá verde, uvas, cereais, peixes e até vinho, entre tantos outros.
 
Óleos essenciais na alimentação
Os óleos essenciais destinados ao uso culinário devem obedecer a rígidos padrões de qualidade, para garantir que sejam livres de elementos tóxicos, químicos e microbianos. Ainda assim, somente pessoas com um conhecimento muito aprofundado em aromaterapia e os componentes dos óleos essenciais devem se utilizar dessa técnica, visto que os óleos essenciais são extremamente concentrados, podendo inclusive, causar danos à saúde se utilizados de forma incorreta ou em concentraçãoes inadequadas.
Por esse motivo, as sugestões de receitas postadas aqui se referem somente ao uso de ervas e condimentos frescos e secos, que, mesmo não possuindo ativos tão concentrados quanto os óleos essenciais, trazem inúmeros benefícios a saúde, além de tornar alimentação mais prazerosa.
ADEUS À DEPRESSÃO COM ALECRIM, TOMILHO E SÁLVIA
Ovos assados com alecrim, tomilho e sálvia
Ingredientes:
1 colher (sopa) de cada erva fresca:alecrim, tomilho e sálvia
6 ovos
3 colheres (sopa) de manteiga
1 xícara (chá) de creme de leite fresco
Sal a gosto
Preparo:
Unte 6 forminhas (10 cm diâmetro) com manteiga e polvilhe um pouco de sal. Quebre um ovo em cada forminha, tomando cuidado para não partir a gema. Regue cada ovo com 2 colheres (sopa) de creme e tempere com mais um pouco de sal e ervas frescas. Transfira as forminhas para uma assadeira funda. Despeje água fervente na assadeira até atingir a metade das forminhas. Asse em forno preaquecido a 200°C, por aproximadamente 5 minutos ou até a clara assentar. Sirva imediatamente. Para as variações, no caso das ervas frescas, basta dispor um ramo da erva escolhida sobre a clara antes de regar com o creme.
ELIMINE AS TOXINAS COM FUNCHO
Sopa de funcho
Ingredientes:
1 xícara (chá) de bulbo de funcho
1 xícara (chá) de cenoura
1∕2 xícara (chá) de cebola
1∕4 xícara (chá) de manteiga
4 xícaras (chá) de caldo de carne ou frango
2 colheres (sopa) de cebolinha picada
2 batatas sem casca
Sal e leite a gosto
Preparo:
Pique os legumes grosseiramente. Reserve as batatas. Numa panela, derreta a manteiga. Adicione os legumes, exceto as batatas, cobrindo com um dedo de água. Em fogo baixo, cozinhe por 15 a 20 minutos ou até que estejam tenros, mas não dourados. Adicione o caldo e as batatas. Tempere a gosto com sal. Coloque para ferver. Cubra. Em fogo baixo, cozinhe até que as batatas estejam macias.
No liquidificados, faça um purê da mistura. Adicione o leite necessário para fazer uma sopa grossa e cremosa. Devolva à panela. Torne a aquecer sem deixar ferver. Salpique com cebolinha picada. Sirva.
CONTROLE A CELULITE COM SALSA, TOMILHO E MANJERONA
Creme de beterraba com salsa, tomilho e manjerona
Ingredientes:
1 colher (sopa) de salsa fresca picada
1∕4 de colher (chá) de tomilho
1∕4 de colher (chá) de manjerona
225 g de folhas de beterraba
225g de folhas de agrião
3 colheres (sopa) de manteiga
2 colheres (sopa) de farinha
1∕4 de xícara (chá) cebolinha picada
2 xícaras de leite
1∕2 colher (chá) sal
Preparo:
Espalhe a manteiga em um refratário fundo. Salpique com a cebolinha picada. Coloque por cima as folhas de beterraba e de agrião. Cubra com filme de PVC e leve ao microondas por 4 minutos na potência alta. Retire do microondas, mexa e cozinhe por mais 1 a 2 minutos ou até que os ingredientes estejam macios. No liquidificador, faça um purê com a mistura. Retorne o purê ao reratário, adicione a farinha, mexendo sempre. Junte os demais ingredientes. Cozinhe por mais 8 minutos em potência alta. Mexa uma vez durante o cozimento. Sirva.
CUIDE DA GARGANTA COM GENGIBRE E NOZ MOSCADA
Bolo de gengibre e noz-moscada
Ingredientes:
1 colher (sopa) gengibre moído
1 colher (chá) noz-moscada ralada250g manteiga
250g açúcar mascavo ou melado escuro
375g farinha de trigo
2 colheres (chá) bicarbonato de sódio
1 ovo batido
300 ml leite
Preparo:
Unte e forre uma forma pequena. Derreta a manteiga e o açúcar (ou o melado). Deixe esfriar um pouco. Peneire os ingredientes secos numa vasilha, junte o ovo, o leite e adicione à mistura, batendo bem. Despeje na forma e asse a 170°C por cerca de 1 hora e meia. Desenforme, deixe esfriar e sirva.
Bom apetite!!!
Referências:
COLLA, Luciane M.; MORAES, Fernanda P. Alimentos funcionais e nutracêuticos: definições, legislação e benefícios à saúde. Revista eletrônica de Farmácia. Vol.3, 109-122. Passo Fundo (RS), 2006.
CORAZZA, Sonia. Aromacologia: uma ciência de muitos cheiros. São Paulo: Senac, 2004.